quarta-feira, 25 de julho de 2012



ACALANTOS PARA ABANDONOS  (Miguel Veiga)

Estes versos expressam
O desprezo de alguém
Que foi embora com outro,
Deixando-me no passado sem ninguém!

Sozinho, juntar a areia solta...
Dos lindos castelos da paixão...
Escorrendo por entre os dedos,
Agora, desfeitos no chão...

O tempo remodela o corpo e a alma,
Talvez a paixão,
Sentir-me vivo é algo que acalma,
Resgatando-me do chão

As grandes paixões agora já distantes
São peças do imaginário de um romântico.
Agora cauteloso, não mais como as estrelas errantes,
Faço versos de amor como se fosse meu cântico.

Quando apaixonado, busquei as estrelas do céu,
Queria forrar com brilho todo teu chão.
Busquei-te em vão, sozinho fiquei ao léu,
Em outros braços trocastes estrelas por pirão!