domingo, 25 de novembro de 2012

ONÍRICO



ONÍRICO 

Solidão trancada,
Alma alegre, aura iluminada,
Espíritos em comunhão de luz,
Em noite de magia
Fizeram horas douradas de
Suas vidas...

Sem mazelas o corpo bebeu...
O néctar da juventude que
Mora na fonte d'alma...
Espargindo cântaros de felicidade!

Os costumes pingavam alegria...
Em grande cumplicidade...
Efêmero bailava com perene...
Onírico se confundia com o real...

Chegada a hora da carruagem...
A abóbora!...Os ratos!...Os trapos!...
A realidade... Mazelas?

(Miguel Veiga)

Nenhum comentário:

Postar um comentário